Archive for junho, 2010

Ciclo 35 – Felicidade Desesperadamente

Written by on jun 30 2010 | .

Curadoria Paulo Soutto Mayor

TARTARUGAS PODEM VOAR (Tartarugas Podem Voar) – 2004- 98″ – Irã
Direção: Bahman Ghobadi
14 anos
Dia 06/07/2010 – terça-feira – 20 horas
Sala Dilo Gianelli
Theatro Municipal

ENSINA-ME A VIVER (Harold and Maud) – 1971 – 91 min – EUA
Direção: Hal Ashbay
Livre
Dia 13/07/2010 – terça-feira – 20 horas
Sala Dilo Gianelli
Theatro Municipal

Ensina-me a Viver (Harold & Maude) do diretor americano Hal Ashby, é um clássico da década de 1970. Uma comédia de humor negro onde o contraste é a marca principal do filme. A abordagem da vida e da morte, é feita de uma maneira cômica, apresentando o drama existencialista, através do relacionamento entre gerações normalmente conflitantes.
O resultado é um legítimo “cult movie” atemporal com trilha sonora composta por Cat Stevens e conta a estória de Harold (Bud Cort), um rapaz muito reprimido, com fixação por morte, funerais e suicídios. Tudo muda, portanto, quando ele se apaixona por uma mulher de 79 anos, Maude (Ruth Gordon) que tem o que ele não possui: humor e alegria de viver.

O filme está classificado no Instituto Americano de Filmes, em 45º lugar na lista dos 100 filmes mais e divertidos de todos os tempos e em 1997 foi selecionado para ser preservado no Registro Nacional de Filmes na Biblioteca do congresso americano por ser “culturamente, historicamente e esteticamente significativo”.

CIDADÃO KANE (Citizen Kane) – 1941 – 119 min – EUA
Direção:Orson Welles
Livre
Dia 20/07/2010 – terça-feira – 20 horas
Sala Dilo Gianelli
Theatro Municipal

Cidadão Kane foi o primeiro longa metragem dirigido, produzido, pelo cineasta americano Orson Welles, na época considerado um rapaz prodígio que havia angariado fama com suas peças de teatro e narrações radiofônicas. Cidadão Kane protagonizado por Welles, marcou época devido às inovações, sobretudo nas técnicas narrativas e nos enquadramentos cinematográficos, por exemplo, a estória começa com o protagonista já morto, mudando-se a cronologia dos fatos e a cenografia mostra pela primeira vez o teto dos ambientes. O filme encontrou forte oposição por parte de Willian Randolph Hearst, magnata da imprensa americana em meados dos anos 1930, que julgava que a obra denegria sua imagem. Na realidade, havia mesmo muitos pontos coincidentes das biografias de Hearst e de Kane.

A história conta como o repórter Thompson (Joseph Cotten) reconstitui a trajetória do empresário da imprensa Charles Foster Kane (Orson Welles), buscando decifrar o significado de sua última palavra no leito de morte: “rosebud”. A morte de Kane comovera a nação e descobrir o porquê daquela palavra se torna uma obsessão para o jornalista, que acredita poder encontrar nela a chave do significado daquela vida atribulada.

Em 1942 foi indicado ao Oscar em 9 categorias, melhor filme, ator, direção de arte, montagem, trilha sonora, som e fotografia e ganhou o prêmio de melhor roteiro e foi considerado, por grande parte da crítica especializada, como o maior filme da história até o momento, figurando em primeiro lugar na lista do American Film Institute (AFI).”.


19:30 Palestra com o curador Paulo Soutto Mayor e logo após o filme:
AS DUAS FACES DA FELICIDADE (Le Bonheur) – 1964- 79 min – França
Direção: Agnès Varda
14 anos
Dia 27/07/2010 – terça-feira – 20:30 horas
Sala Dilo Gianelli
Theatro Municipal

1 comentário for now