Archive for junho, 2011

Ciclo 44 – Cesare na Mostra de São Paulo 2011

Written by on jun 30 2011 | .

Curadoria: Cesar Rodrigues

05-07-11 – Gainsbourg – O Homem que Amava as Mulheres – (Gainsbourg (Vie héroïque)) 2010 – Joann Sfar- 130 min – França

Cinebiografia do ícone musical francês Serge Gainsbourg desde seu nascimento em 1940 até sua morte em 1991, dirigido pelo cineasta francês Joann Sfar. O longa retrata a vida de Gainsbourg desde sua juventude nos anos 40, em uma Paris ocupada pelos nazistas, até à sua transformação em compositor, cantor e poeta mundialmente conhecido.

A história de Serge Gainsbourg é de um jovem judeu e tímido poeta que vaga por Paris e que deixa para trás suas pinturas e seu quarto para deslumbrar as platéias de clubes noturnos e tomar o mundo com seu talento nos turbulentos anos 60. É uma vida “heróica”, onde as criaturas de sua cabeça ganham corpo na tela, e sua eloquência combina com seus escandalosos casos de amor com lindas mulheres como Brigitte Bardot e Jane Birkin. Desses elementos nasce um trabalho subversivo que cresce e agita o mundo inteiro.”

O filme foi premiado na cerimônia de entrega do César 2011, nas categorias: Melhor Ator para Eric Elmosnino, Melhor Primeiro Filme e Melhor Som.


12-07-11 – Exit Through the Gift Shop – 2009 – Bansky – 87 min – EUA/ Reino Unido

Exit Through the Gift Shop: A Banksy Film é um dos mais fascinantes filmes sobre arte já realizados.
O documentário, dirigido pelo artista de rua Banksy, narra a surpreendente história, supostamente real, de Thierry Guetta, um videomaker francês vivendo em Los Angeles que é convidado a registrar os expoentes da street art, (que diferente de pinturas a óleo sobre tela ou outras obras feitas para durar, tem vida curta), com o intuito de realizar um filme sobre eles. Porém, depois de acompanhar Banksy e outros artistas ao longo de meses, Guetta, cujos filmes são inassistíveis, decidiu tornar-se ele próprio um street artist. De registrador ele passa a ser o registro.

A segunda metade da produção acompanha os preparativos para a grande exposição de Mr. Brainwash, alardeada pela mídia depois que uma citação fora de contexto do próprio Bansky é empregada na divulgação. E o risível artista subitamente toma de assalto o mundo das artes, gerando milhões…
Acompanhar o processo “criativo” de Guetta, que assume a alcunha Mr. Brainwash, é uma mistura de fascínio e ojeriza. O emergente artista enche um galpão com telas e gravuras, monta suas próprias reinvenções da Pop Art, cria reproduções “exclusivas” de sua obra dirigindo um velocípede enquanto besunta tinta sobre elas e espalha rios de spray por qualquer superfície sem conceito ou direcionamento. O ex-videomaker claramente não sabe o que está fazendo, tanto que contrata outras pessoas, talentosos designers e ilustradores, para realizar sua exposição sob sua alucinada direção. Especula-se que a história toda seja uma grande farsa criada por Banksy. É tudo perfeito demais, engraçado demais. A própria natureza contestadora do trabalho de Banksy, que critica de maneira bem-humorada a sociedade e o governo, seria indício dessa peça que ele, agora como cineasta, teria pregado no mundo das artes.

Mas independente da veracidade ou não do documentário, o filme cumpre o que se propõe: inicia um debate sobre a arte nos dias atuais. Documentários fake, que misturam elementos de realidade e ficção, tentando fazer com que o espectador não perceba a linha entre a verdade e a mentira, são mais do que uma tendência dos últimos anos, e se consolidam como um dos principais tons do século 21.
O filme venceu 15 festivais na Europa e nos EUA como melhor documentário e foi foi indicado ao Oscar na mesma categoria..


19-07-11 – Tio Boommee que pode se recordar de sua vidas passadas (Loong Boonmee raleuk chat) – 2010 – Apichatpong Weerasethakul – 114 min – Tailândia/França/Inglaterra/Alemanha/Espanha/Holanda

Em Tio Boonmee, que Pode Recordar suas Vidas Passadas, dirigido pelo cineasta tailandês Apichatpong Weerasethakul, filho de médicos que como em filmes anteriores realimenta a sua fixação pela medicina moderna versus o poder de cura do tempo. O diretor também adora janelas, mas, como tudo em seus filmes, uma janela nunca é só uma janela e em Tio Boonmee, a primeira a aparecer é a janela de um carro.
Tio Boonmee (Thanapat Saisaymar), que sofre de insuficiência renal, viaja com sua irmã, Jen, até a casa na floresta onde deseja passar os seus últimos dias. Na estrada, Jen abaixa o vidro do passageiro e, com os sons de fora, invadem o carro, absorvidos pela lente da câmera, os primeiros raios de sol da manhã.
Boonmee está prestes a morrer e reúne sua família em sua fazenda onde recebe visitas de fantasmas e relembra suas vidas passadas.

O filme ganhou o festival de Cannes em 2010 na categoria de melhor direção e outros 5 prêmios em festivais pelo mundo.


26-07-11 – O Mágico (L’illusionniste) – 2010 – Sylvain Chomet- 80 min – França/Reino Unido

Comentários desativados em Ciclo 44 – Cesare na Mostra de São Paulo 2011 for now

10 de Junho – Dia da Língua Língua Portuguesa no Mundo

Written by on jun 08 2011 | .


O MILAGRE – O Poder da Fé – 1979 – 95 min – Brasil

Direção: Hércules Breseghelo

Livre

Dia 10/06/2011- terça-feira – 20 horas

Sala Dilo Gianelli

O Beloca, o Departamento de Cultura da PM SJBV em parceria com o Projeto Andorinhas, participam das comemorações da
SEMANA DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA, que em todo o mundo comemoram no dia 10 de junho, o Dia de Camões e
o Dia da Língua Portuguesa, com a exibição do documentário musical, O Milagre – O Poder da Fé, sobre a vida do cantor
portugues Roberto Leal. O elenco conta com atores atores como, Roberto Leal, Joffre Soares, Liana Duval, Tony Ferreira, Ferrugem, Romeu de Freitas, Angela Rodrigues Alves, Márcia Fraga, Clara Hollender e dirigido Hércules Breseghelo

Comentários desativados em 10 de Junho – Dia da Língua Língua Portuguesa no Mundo for now

Ciclo 43-Arte e Transformação : Algumas Sementes

Written by on jun 02 2011 | .

Curadoria: Grupo Transes Coletivos

07-06-11 – Palavra (En) Cantada – 2009 – Helena Solberg – 86 min – Brasil

No documentário Palavra (En)cantada, a diretora carioca Helena Solberg investiga a relação peculiar entre
a poesia e a música popular no Brasil. A tese de Palavra (En)cantada, que vai ganhando força nos depoimentos de vários artistas
(Chico Buarque, Lenine e Caetano Veloso), é de que o país registra uma integração toda especial entre a poesia,
gênero normalmente de consumo intelectualizado e restrito e a canção popular de ampla circulação.
A cineasta conhecida no Brasil especialmente pelo docu-drama Carmen Miranda – Bananas is my business (1994), firmou-se
como produtora e diretora de documentários no Brasil e nos EUA. Seus primeiros trabalhos investigaram papéis femininos
na sociedade moderna . Seu primeiro longa-metragem de ficção, Vida de menina (2003), recebeu 6 prêmos no festival de
Gramado.
A partir da reflexão da relação entre a música popular e a poesia e literatura, o documentário usa depoimentos, performances

musicais e trilha sonora a fim de esclarecer e refletir sobre o assunto. O filme apresentará imagens inéditas no Brasil, como a

encenação de Morte e Vida Severina, de João Cabral de Mello Neto, no Festival de Teatro Universitário de Nancy, na França,

em 1966. Merecem destaque também imagens raras, que foram restauradas pela produção do filme, de Dorival Caymmi,

nos anos 40, cantando e tocando O Mar ao violão.

Palavra (En)cantada ganhou o prêmio de melhor direção no festival do Rio de 2009.


14-06-11 – Lixo Extraordinário – 2009 – Karen Harley, João Jardim, Lucy Walker – 90 min – Brasil/ Reino Unido

21-06-11 – Nascidos em Bordéis (Born in Brothels) – 2010 – Zana Briski – 86 min – EUA

Lixo extraordinário, coprodução do Brasil e Reino Unido o filme foi dirigido por João Jardim, Lucy Walker e Karen Harley.
Lixo Extraordinário, documentário dirigido pelos cineastas brasileiros João Jardim e Karen Harley e a inglesa Lucy Walker,
foi gravado ao longo de três anos. Sua trama acompanha um projeto social do artista plástico brasileiro Vik Muniz com catadores do lixão de Gramacho, em Duque de Caxias (RJ) – considerado o maior da América Latina e cenário de outro documentário premiado,”Estamira” (2004), de Marcos Prado. O filme vai além do trabalho de Muniz. O otimismo e a capacidade de transformação do povo brasileiro é que dão vida ao filme, envolvendo, no decorrer do trabalho, artista e catadores. A transformação do lixo em arte é o gancho para mostrar a esperança e a transformação dos catadores envolvidos no projeto. Além disso, é feito um paralelo com a carreira e a história de Muniz, que teve um passado humilde e hoje alcançou o sucesso.

A trilha sonora do filme foi composta pelo músico e DJ americano Moby.

Vencedor de prêmios de público nos festivais de Sundance e Berlim em 2010 e foi indicado em 2011ao Oscar de melhor documentário.


28-06-11 – O Espectro da Esperança (The Spectre of Hope) – 2002 – Paul Carlin – 52 min – Reino Unido

Comentários desativados em Ciclo 43-Arte e Transformação : Algumas Sementes for now