Archive for setembro, 2011

Ciclo 47 – Ciclo de Filmes Comentados: Loucura, a lucidez contemporânea.

Written by on set 22 2011 | .

Oficinas Culturais Guiomar Novaes
Curadoria: Fritz Nagib

04-10 -11 – terça feira – 19:30 horas – Budapeste – 2009 – Walter Carvalho – 113 min – Brasil/Portugal/Hungria

Budapeste foi dirigido pelo cineasta brasileiro Walter Carvalho, que é também, um dos mais importantes diretores de fotografia do cinema brasileiro, desde o cinema novo. O filme é baseado no famoso livro homônimo de Chico Buarque, nos leva a uma fascinante viagem de um homem separado entre dois continentes e divido por duas mulheres.

Conta a história de José Costa (Leonardo Medeiros), um ghost-writer, escritor especialista em escrever livros para terceiros sob a condição de permanecer anônimo. Na volta de um congresso, Costa é obrigado a fazer uma escala imprevista na cidade de Budapeste, o que desencadeará uma série de eventos envolvendo-o em uma surpreendente história. Casado com Vanda (Giovanna Antonelli), uma famosa apresentadora de telejornais, Costa conhece Kriska (Gabriella Hámori) em Budapeste. Com ela aprende húngaro, que segundo dizem, é a única língua que o diabo respeita. Durante as diversas idas e vindas entre o Rio de Janeiro e Budapeste, Costa se alterna entre o seu enfeitiçamento pela língua húngara transformada em paixão por Kriska e suas raízes pessoais ancoradas no seu amor por Vanda.

Em 2010, no Brafft – Festival Brasileiro de Filmes em Toronto -, Walter Carvalho dividiu o prêmio de Melhor Direção com Felipe Braga e Eduardo H. Moura e Leonardo Medeiros recebeu o prêmio de melhor ator.

11-10-2011 Não haverá sessão, pois a sala será utilizada pela Prefeitura Municipal.

18-10 -11 terça feira – 19:30 horas – Durval Discos – 2002 – Anna Muylaert – 93 min – Brasil

Durval discos é o filme de estréia da da diretora e roteirista paulistana Anna Muylaert e conta a história do solteirão Durval (Ary França) e sua mãe Carmita (Etty Frazer) vivem há muitos anos na mesma casa onde funciona a loja Durval Discos, que já foi muito conhecida no passado, mas hoje vive uma fase de decadência devido à decisão de Durval em vender apenas antigos LPs da década de 70 e não vender CDs. Para ajudar sua mãe no trabalho de casa Durval decide contratar uma empregada, sendo que o baixo salário acaba atraindo Célia, uma estranha candidata que chega junto com Kiki, uma pequena garota. Após alguns dias de trabalho simplesmente desaparece, deixando Kiki e um bilhete avisando que voltaria para buscá-la dentro de 3 dias.

Na trilha sonora do longa-metragem estão presentes ícones da MPB, como Gal Costa, Novos Baianos, Jorge Ben Jor, Caetano Veloso, Gilberto Gil e Rita Lee, que também faz uma participação como atriz.

Ganhou 7 Kikitos de Ouro no Festival de Gramado, nas seguintes categorias: Melhor Filme, Prêmio do Júri Popular, Prêmio da Crítica, Melhor Direção, Melhor Roteiro, Melhor Fotografia e Melhor Direção de Arte.
Recebeu as premiações de melhor roteiro, melhor atriz (Etty Fraser) e melhor direção de arte. no Cine PE – Festival do Audiovisual, novo nome dado ao antigo Festival de Recife, 2003.

Viajo porque preciso, volto porque te amo é um road-movie poético experimental que demorou dez anos para ficar pronto. A aventura filmográfica afetiva dos dois cineastas nordestinos Marcelo Gomes (de “Cinemas, Aspirinas e Urubus”) e Karim Aïnouz (de “Madame Satã” e “O Céu de Suely”), teve um artesanato peculiar. Durante 10 anos as imagens foram captadas e reunidas num baú de preciosidades. Depois foram montadas e remontadas num quebra-cabeça que foi se transformando em algo completamente diferente da intenção original.

Na trama, José Renato, geólogo, 35 anos – que não aparece em cena em nenhum momento, interpretado por Irandhir Santos – narra suas impressões durante a viagem que faz pelo sertão a trabalho, para avaliar a possibilidade de transposição do rio São Francisco. Ao mesmo tempo, ele tenta esquecer a “galega” Joana, de quem levou um fora.

O filme lançado em 2009, foi exibido em muitos festivais internacionais e Marcelo Gomes e Karim Aïnouz levaram, no Festival do Rio, o prêmio de melhor direção. Heloísa Passos, levou também o de melhor fotografia, que dividiu por seu trabalho em O Amor Segundo B. Schianberg, de Beto Brant.
Em 2010 ganhou prêmios no festival de Havana e no Festival Latino Americano.
25-10-11 -terça feira – 19:30 horas Viajo porque preciso, volto porque te amo – 2010 – Marcelo Gomes e Karim Aïnouz – 75 min – Brasil

Comentários desativados em Ciclo 47 – Ciclo de Filmes Comentados: Loucura, a lucidez contemporânea. for now