Ciclo 31 – Cinemundo

Escrito por em 23 fev 2010 | .

Ciclo 31- Cinemundo
Panorama do Cinema Contemporâneo de várias origens.
luz-silenciosa1

LUZ SILENCIOSA– (Stellet licht) – 2007 – 127 min – França/ Alemanha/ México/Holanda
Direção: Carlos Reygadas
12 anos
Dia 02/03/2010 – terça-feira – 20 horas
Sala Dilo Gianelli
Theatro Municipal

O primeiro filme do ciclo, Luz Silenciosa, é terceiro longa do diretor mexicano Carlos Reygadas.
Esse jovem talento do cinema mexicano é atraído pelos temas do sexo e da religião
Filmado com um elenco de não-atores, em uma comunidade religiosa menonita, de origem germânica e radicada no México, Luz Silenciosa apresenta uma história de culpa, expiação… e milagre.

Conta a história de Johan (Cornelio Wall), um menonita casado que vive ao norte do México. Os menonitas defendem o pacifismo radical e rejeitam o progresso, mas a comunidade de Johan é mais moderada. Eles usam carros e os benefícios da medicina moderna, mas ainda se recusam a utilizar comunicações com o exterior, como telefone ou internet. Neste ambiente Johan se apaixona por outra mulher, contrariando as leis de sua religião.

Em 2007, o cineasta Carlos Reygadas foi indicado ao prêmio de melhor diretor em Cannes e o filme recebeu o prêmio do juri entre outros 29 prêmios em festivias pelo mundo em 2007 e 2008

loki

LOKI, ARNALDO BAPTISTA – 2008 – 120 min – Brasil
Direção: Paulo Henrique Fontenelle
14 anos
Dia 09/03/2010 – terça-feira – 20 horas
Sala Dilo Gianelli
Theatro Municipal

O filme dessa semana é um documentário do diretor brasileiro Paulo Henrique Fontenelle e primeiro longa metragem produzido integralmente pelo Canal Brasil. O filme traz um rico material audiovisual para contar a história não somente de um músico, mas de uma das bandas mais importantes do país, Os Mutantes. Uma cinebiografia do músico Arnaldo Baptista, integrante dos Mutantes, contada através de um quadro pintado pelo próprio artista. A pintura é intercalada com imagens históricas que remetem aos principais momentos de sua trajetória artística, que fizeram dele um dos grandes nomes do rock brasileiro.

O documentário circulou nos principais festivais de cinema, ganhando prêmios, em Sâo Paulo/Rio de Janeiro/Cuiabá/Miami/Toronto e Nova York e de ter sido exibido em várias salas de cinemas em todo o país.

heroi-port

HERÓI (Ying Xiong) – 2002 – 96 min – China
Direção: Zhang Yimou
14 anos
Dia 16/03/2010 – terça-feira – 20 horas
Sala Dilo Gianelli
Theatro Municipal

O filme dessa semana, Herói, é inspirado pelas novelas de artes marciais. Dirigido por um dos mais importantes cineastas chineses, Zhang Yimou, é o maior expoente da chamada Quinta Geração do cinema chinês. Esta geração, formada por diretores cinéfilos, emergiu nos anos oitenta de uma China em grave crise econômica e sofreu, desde seus primeiros filmes, forte repressão do Estado Chinês, mas foi acolhida pelo público e pela critica internacional. Os diferentes flashbacks do filme são diferenciados pela cor predominante da cena e pelas roupas usadas pelos personagens. As tonalidades de cor e seus respectivos significados usados são: vermelho (paixão), azul (amor), verde (juventude), branco (verdade) e preto (morte).

Na China ancestral, antes do surgimento do primeiro imperador, a nação divide-se em sete reinos. Qin (Daoming Chen), o soberano da província do norte, sofre constantes ameaças e tentativas de assassinato. O que mais o preocupa são três assassinos de elite, contratados por seus adversários políticos. Um dia um dos magistrados de seu reino entra no palácio carregando as armas dos assassinos, afirmando ter derrotado os três inimigos em combate após de ter passado mais de uma década estudando a técnica da espada.

O filme recebeu 26 prêmios nos EUA, Asia e Europa. Indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 2002.

A Miramax comprou os direitos de exibição de
Herói nos Estados Unidos em 2002, logo após seu grande sucesso nos cinemas asiáticos. Entretanto o filme apenas foi lançado nos cinemas americanos em agosto de 2004. Durante este período de espera o filme ganhou fama de cult nos Estados Unidos, onde apenas pôde ser exibido através de DVDs feitos em países onde ele já havia sido lançado.
– O lançamento de Herói nos Estados Unidos teve a participação do diretor Quentin Tarantino, que entrou em contato com os executivos da Miramax de forma a convencê-los a lançar o filme comercialmente nos cinemas, sob o título “apresentado por Quentin Tarantino”.

– Em seu fim de semana de estréia nos Estados Unidos,
Herói
arrecadou cerca de US$ 18 milhões. Trata-se da 2ª melhor estréia de um filme falado em uma língua que não seja a inglesa nos Estados Unidos, atrás apenas de A Paixão de Cristo (2004).
Foi o filme mais caro já produzido na China, até seu lançamento. O orçamento do filme ficou em US$ 30 milhões.
– Exibido na mostra Panorama do Cinema Mundial, no Festival do Rio 2004.

a-teta-assustada
A TETA ASSUSTADA (La Teta Asustada) – 2009 – 95 min –Peru/Espanha
Direção: Claudia Llosa
14 anos
Dia 23/03/2010 – terça-feira – 20 horas
Sala Dilo Gianelli
Theatro Municipal

Continuando o ciclo, o filme dessa semana, é da cineasta peruana Claudia Llosa, que foi a diretora mais jovem do Festival de Cinema de Berlim à receber o Urso de Ouro. O filme, segundo longa-metragem da diretora, reflete sobre a dificuldade de curar as feridas do passado no Peru. Baseado em um livro com centenas de testemunhos de mulheres que haviam sido açoitadas durante a época do terrorismo no país, concentrava numa só frase, a idéia de como o emocional se transmite de geração a geração.
A Teta Assustada é a metáfora do rompimento e conta a história de Fausta (Magaly Solier), menina muda que vive num país reprimido, que só pode se expressar através do inconsciente: seus mitos, seus medos, seus traumas. O corpo de uma mulher expressa o vazio que precisa ser preenchido, a angústia que precisa se acalmar, o pavor de encontrar algo diferente, de perder o controle…

Em 2009 o filme ganhou o Urso de Ouro no Festival de Berlim e também o prêmio de melhor filme e melhor atriz para Magali Solier,no festival de Guadalajara. Foi indicado ao Oscar de Mlelhor filme estrangeiro.

guerra-ao-terror 200
GUERRA AO TERROR – (The Hurt Locker) – 2008- 131 min – EUA
Direção: Kathryn Bigelow
16 anos
Dia 30/03/2010 – terça-feira – 20 horas
Sala Dilo Gianelli
Theatro Municipal

O último filme do ciclo Guerra ao Terror, ganhador do Oscar de melhor filme 2010 entre outros, é da cineasta americana Kathryn Bigelow, que foi a primeira mulher a ganhar um Oscar nessa categoria.

O filme conta a história de um grupo de soldados em guerra, que conta os dias para retornar para casa, mas o excesso de ocorrências faz com que a jornada fique mais difícil. As forças armadas sempre precisam de soldados para diferentes tarefas. Eles desejam o fim da guerra, mas isso nunca acontece.

Guerra ao Terror, ganhou seis estatuetas do Oscar 2010: Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original, Melhor Fotografia, Melhor Som, Melhor Efeitos Sonoros, Melhor Montagem. Além dos prêmios, o filme também foi indicado a Melhor Ator (Jeremy Renner), Fotografia (Barry Ackroyd) e Trilha Sonora (Marco Beltrami and Buck Sanders).

ninguém comentou até agora

comentários não estão habilitados.